Introdução ao Arduino

Escola: Escola Alef Peretz - SP
Número de alunos:60
Contexto:Curricular
Faixa etária:12 a 14 anos
Formato:Em duplas
Duração da atividade:2h30m
Tempo de preparação:20m
Palavras-chave:ArduinoLEDProgramaçãosemáforo
Descrição da atividade

Foram feitas em algumas etapas a introdução ao Arduino fazendo a atividade do semáforo. A primeira foi a apresentação em ppt dos componentes básicos e explicação sucinta de como funciona corrente e circuito elétrico, funcionamento e teste da polarização de uma LED e então fazer acender e piscar a LED do próprio Arduino. Na segunda aula foi introduzido os jumpers, resistores e os alunos montaram um circuito de uma LED e finalmente na terceira etapa os alunos montaram o semáforo. Por ter sido feita com todos os alunos, a atividade ocorreu de forma um pouco lenta pois cada etapa eu passava para verificar se estava correta a montagem. Também pude observar que fazer em três etapas foi melhor pois no final os alunos estavam dominando melhor a montagem e recordando os comandos aos poucos. Cada etapa concluída com os alunos eles comemoravam bastante.

Pré-requisitos

Nenhum

Plano de aula

Objetivos pedagógicos

Estimular a criatividade dos alunos, trabalho em equipe (alguns alunos ajudaram outras duplas a resolver os problemas), desenvolver raciocínio lógico, estimular o aluno a pensar e resolver os seus problemas ensinando a pensar em um conjunto menor para resolver um problema maior.

Materiais necessários

Kit por dupla: Arduino UNO, 1 protoboard, 1 notebook, 3 LEDS, 3 resistores de 120 ohms, 4 jumpers

Preparação

Separar o kit por dupla e já colocar na bancada. Tentei na primeira turma que os próprios alunos pegassem mas inicialmente eles estão muito afobados, então foi melhor quando eu já separei nas primeira aula o material e já coloquei na bancada separado pelas duplas. No final da aula ensinei os alunos onde guardar corretamente os componentes no FABLAB.

Condução

Como a atividade foi feita com toda a sala ao mesmo tempo, cada etapa nova é necessário verificar se os alunos montou corretamente o circuito, inclusive brinquei com os alunos que possivelmente na primeira tentativa não daria certo, conversei rapidamente sobre frustração e processos de planejamento até conseguir obter o resultado esperado assim evitei o desestímulo dos alunos caso após algumas tentativas eles não conseguissem fazer alguma etapa da aula. Na primeira aula apenas piscamos o LED do próprio Arduino para que o aluno entendesse como funcionava um Arduino e fazer um programa bem simples. Importante frisar com os alunos que os comandos na programação mudam de cor e que se estiver escrito em preto é porque o aluno escreveu alguma letra errada. Já na segunda aula, as duplas, com os conhecimentos da aula anterior, tentam inicialmente montar cada etapa sozinha e o professor precisa passar entre as duplas para verificar se cada uma montou corretamente e assim garantir que nenhum aluno fique atrasado em relação à turma. Já na terceira aula, os alunos estão familiarizados com os componentes, com os comandos e como desafio precisam montar um semáforo. Nesta etapa, apenas circule entre os alunos, relembre a sala de informações que várias duplas estão com dificuldade mas é importante que esta aula não seja conduzida diretamente pela professor, ou seja, deixe os alunos utilizaram dos conhecimentos já adquiridos e colocar em prática essas informações. É importante que os alunos utilizem caderno para fazer as suas próprias anotações e rever quando tiverem alguma dificuldade.

Discussão e reflexão com os alunos

A partir dessas aulas, pensar junto com os alunos quais outros projetos eles gostariam de fazer, introduzir o mundo maker e problematizar questões cotidianas que eles, buscando um pouco mais de conhecimento, conseguem resolver, como por exemplo usar sensores para umedecer o solo, sensor de presença, enfim.

Relato de prática

O que deu certo

Como fiz em três turmas do mesmo ano e iniciei o projeto em semanas diferente, pude perceber que ir devagar e verificar cada etapa para todos os alunos estarem juntos nas duas primeiras aulas fez diferença para o desafio do semáforo. Notei diferença quando expliquei como funciona uma protoboad (mostrei uma por dentro), o sentido real de uma corrente elétrica para que o aluno entenda e evite erros no momento de usar os jumpers e fazer as ligações na protoboard. Também iniciei uma pequena parte prática para introduzir a polarização do LED, ou seja, utilizei uma bateria e um LED também por dupla de alunos e o objetivo era acende-lo, assim os alunos puderam observar que para isso ocorrer, há um sentido certo para posicionar o nosso LED.

O que pode ser melhorado

Como o Arduino armazena o último programa rodado, assim que conectamos ele ao computador, ou seja, fornecemos apenas energia, ele começa a executar esse programa salvo. Então vários alunos acharam que, assim que conectavam os seus circuitos, estavam rodando os programas que eles haviam feito. É importante resetar o Arduino ao final da aula para os próximos que irão utilizar.

Autores

Nome: Lara Rolim de Arruda Rocha

Email: lara.rolim@alefperetz.org.br

Disciplina que leciona: Programação